Call for Papers

[PT]
Colóquio Internacional: “Variações sobre António. Um colóquio em torno de António Variações”
Data: 7 e 8 de Dezembro de 2017
Local: Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

Com apenas dois LP’s, editados em 1983 (Anjo da Guarda) e 1984 (Dar & Receber), António Variações – nascido em 1944, com o nome de António Joaquim Rodrigues Ribeiro, e falecido em 1984 –, tornou-se um caso de estudo na música popular portuguesa, quer pelo cunho fulgurante do seu impacto, quer pelo rasto duradouro que deixou, manifesto em várias homenagens coletivas em disco, ou ao vivo, num «disco póstumo» (Humanos, 2004) elaborado por um conjunto de músicos portugueses a partir de maquetes de canções suas gravadas em cassetes, ou na importante biografia publicada por Manuela Gonzaga em 2006 (António Variações. Entre Braga e Nova Iorque, Âncora Editora).

A música, as letras das canções, a imagem, os vídeo-clips, tudo isso tem contribuído para que a presença de António Variações na cultura portuguesa não se tenha desvanecido, continuando, pelo contrário, a alimentar a imaginação do público. Tão importante como tudo isso, porém, é o paradigma que Variações representa na cena portuguesa dos anos 80, bem sintetizado pela frase, que terá dito ao produtor do seu primeiro disco, para enunciar o lugar estético em que via a sua música: «Uma coisa entre Braga e Nova Iorque». A frase não sugere um ponto de equilíbrio que seria, aliás, impossível de garantir; pelo contrário, parece enunciar uma pulsão de desequilíbrio ou de fabricação, não garantida por uma estabilidade identitária prévia – seja ela a da «cultura tradicional» ou a do «cosmopolitismo» –, para qualquer projeto de criação de uma versão moderna do popular, neste caso em Portugal. Nesse sentido, o percurso biográfico de Variações (que interioriza o típico percurso de um homem português da segunda metade do século XX, da aldeia à capital, à Guerra Colonial e à emigração) parece pressupor uma demanda, desde as origens minhotas a Lisboa e, depois, a Londres, Amesterdão, Nova Iorque, etc., mas uma demanda de algo que se produz, fabrica e falsifica pelo caminho, sem ceder a qualquer ilusão de um «encontro pleno com a alma» da cultura portuguesa ou do sujeito com as suas «raízes» e com a sua «verdade profunda», também ela objeto de uma encenação queer no limite do kitsch ou do camp, dando assim a ver, em modo espetacular, a identidade como recodificação. E isso é também reconhecível nas extraordinárias letras que Variações escreve para as suas canções, que oscilam entre uma versão fulgurante da poesia popular e a reinvenção literária que o leva a musicar, por exemplo, Fernando Pessoa.

Falar de António Variações é, pois, falar sempre de muito mais do que apenas das suas canções, já que não custa ler na sua obra e na forma como performatiza a sua identidade (pessoal e coletiva) algo que nos ajuda a ler Portugal na segunda metade do século XX, da música e da poesia à cultura, à sociedade e ao estado do «corpo político».

O colóquio «Variações sobre António» propõe-se, pois, estudar quer a obra do compositor e cantor, quer aquilo que nela é sintoma de fenómenos mais vastos – um deles, e dos mais importantes, a forma como a cultura portuguesa posterior à Revolução de 1974 tenta sintonizar-se / dessintonizar-se com o mundo exterior e, em particular, com a cultura e civilização saída dos anos 60, sobretudo aquela latamente designável como pop. O colóquio é uma proposta do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura e da área de Estudos Artísticos, ambos da FLUC. O colóquio conta, neste momento, com o apoio do Centro de Literatura Portuguesa, do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX, do Colégio das Artesdo Teatro Académico de Gil Vicente, da Rádio Universidade de Coimbra e do Jazz ao Centro Clube.

São entidades parceiras do colóquio o projeto Keep It Simple, Make It Fast, coordenado por Paula Guerra, o Núcleo de Estudos em Género e Música, coordenado por Paula Gomes-Ribeiro, e o Projeto Mural Sonoro, coordenado por Soraia Simões. Estas entidades estão representadas na Comissão Científica do colóquio.

O colóquio, que terá lugar na primeira semana de Dezembro de 2017, nos dias 7 e 8, poderá durar três dias, em função do número de comunicações, sendo as inscrições pagas. O colóquio é pensado sobretudo para as seguintes áreas disciplinares: musicologia, estudos artísticos, estudos literários, estudos intermédia, estudos culturais, ciências sociais, média e comunicação, história contemporânea.

Convidamos investigadores a apresentarem comunicações que explorem o seguinte temário:

1.      A música de Variações, entre o rock português, o pop, o fado e o folclore
2.      As letras de Variações: da poesia popular (ou fake) às letras pop
3.      Texto & Som, Imagem & Corpo: performance e intermedialidade em Variações
4.      Identidade, resistência e excesso: o queer, o glam e o camp
5.      Discos: produção; indústria discográfica
6.      Produção e gestão do impacto mediático de Variações
7.      Cultura e sociedade no Portugal de Variações
8.      Legado e reinvenção de Variações

 

O prazo para envio de propostas de comunicação  foi alargado até 15 de julho de 2017.As propostas de comunicação devem ser apresentadas através da plataforma EasyChair (https://easychair.org/conferences/?conf=cv2017). As comunicações não deverão exceder os 20 minutos. Podem ainda ser propostos painéis de três comunicações. As propostas de comunicação deverão ter entre 500 e 1000 palavras (incluindo referências). O resultado da avaliação das propostas será comunicado até 15 de setembro de 2017. São aceites propostas em português, inglês, espanhol, francês e italiano.

O colóquio terá uma programação complementar, na área dos concertos e performances. No primeiro caso, a organização desafiará músicos e bandas da zona de Coimbra para reinventarem a música de Variações, num concerto a ter lugar no TAGV. No que toca à performance, está disponível uma Call for Performances subordinada ao título «Variações performáticas sobre António», vindo as performances selecionadas a ter lugar na Sala do Carvão, do Edifício das Caldeiras da Universidade de Coimbra, e no Salão Brazil.

[EN]
International Conference: “Variações sobre António. Um colóquio em torno de António Variações”
Date: December 7-8, 2017
Place: School of Arts and Humanities, University of Coimbra

With only two LP’s, edited in 1983 (Anjo da Guarda) and 1984 (Dar & Receber), António Variações – born António Joaquim Rodrigues Ribeiro in 1944, and deceased in 1984 – has become a singular case-study in Portuguese popular music, either through the effulgent stamp of his impact or by the lasting after-image he left, both manifest in several tributes. Throughout the years, tributes took the shape of collective homages in record form, live shows, a «posthumous record» – Humanos, 2004 -, prepared by a group of Portuguese musicians from still-tentative tunes he had recorded in cassettes, and even a significant biography, published by Manuela Gonzaga in 2006 (António Variações. Entre Braga e Nova Iorque, Âncora Editora).

The music, lyrics, imagery and video clips, all have contributed to the ever-presence of António Variações in Portuguese culture. Plus, they have steadily and continuously fed the public’s imagination. Equally important, though, is the paradigm that Variações represents in the Portuguese scene of the 1980’s, well resumed in a sentence he supposedly uttered to the producer of his first studio album in order to formulate the esthetic place where he envisaged his music: “Something in between Braga and New York City”. This particular phrase does not suggest a balance (in earnest impossible to ensure); on the contrary, it seems to formulate a drive for imbalance or for fabrication, not guaranteeing a previous identity stability (whether nurtured by «traditional culture» or by «cosmopolitism») for any project of creating a modern version of the «popular» in Portugal. In that sense, Variações’ biography (which mirrors the typical course of a Portuguese male in the 20th century, from the province to the metropolis, the Colonial Wars and to emigration) seems to predicate a particular quest, from the humble origins in Minho to Lisbon and, afterwards, to London, Amsterdam, New York and so forth. The quest, though, is for something that is to be produced, fabricated and falsified along the way, without giving way to any illusion of a «fraught encounter with the soul» of Portuguese culture or of the subject with his «roots» or «deep truth». Furthermore, the quest is, in itself, subject to a queer staging bordering kitsch or even camp, thus rendering, in spectacular fashion, identity as recoding. The process is also recognizable through the extraordinary lyrics he wrote to his songs, fluctuating between a vivid version of popular poetry and the literary reinvention that led him, for instance, to turn Fernando Pessoa’s poems into music.

To discuss António Variações is, therefore, to talk about much more than just his songs, since it is not difficult to read into his work and in the ways by which he forges his identity as a performance (both personal and collective), something that enables us to peruse what and how Portugal was in the second half of the 20th century, from music and poetry to culture, society and the state of the «body politic».

The conference «Variações sobre António» seeks to promote the study and discussion not only of the work of Variações as a singer-songwriter but also the ways in which his oeuvre relates to broader cultural phenomena of the 70’s. Among the most significant aspects we can emphasize the ways in which the post-1974 revolution Portuguese culture tried to be in and out of sync with the outside world and, specifically, with the culture and civilization that had emerged out of the 1960’s, mainly the one broadly referred to as pop. The conference was devised by the Doctoral Program in Materialities of Literature (Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura) and of the Arts Studies field of study, both of FLUC (University of Coimbra, School of Arts). It is currently backed by the Center for Portuguese Literature (Centro de Literatura Portuguesa), by Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX, Colégio das ArtesTeatro Académico de Gil Vicente, Rádio Universidade de Coimbra and Jazz ao Centro Clube.

Other partners of the conference are: project Keep It Simple, Make It Fast, headed by Paula Guerra; Núcleo de Estudos em Género e Música, headed by Paula Gomes-Ribeiro; and the project Mural Sonoro, headed by Soraia Simões. All of the aforementioned entities will be represented at the conference’s Scientific Committee.

The conference will take place on the first week of December 2017 (7th and 8th), and it may extend to three days depending on the number of participants. Inscription fees will be requested. This conference wishes to bring together multiple disciplinary perspectives such as: musicology, arts studies, literary studies, intermedia studies, cultural studies, social sciences, media and communication, contemporary history.

We invite submissions related but not limited to the following themes:

  1. Variações’ music, between Portuguese rock, pop, fado and folk
    2.      Variações’ lyrics: from popular (or fake) poetry to pop lyrics
    3.      Text & Sound, Image & Body: performance and intermediality in Variações
    4.      Identity, resistance and excess: queer, glam and camp
    5.      Records: production; record industry
    6.      Production and handling of Variações’ media impact
    7.      Culture and society in Variações’ Portugal
    8.      Legacy and reinvention of Variações

The deadline for submission of communication proposals was extended until July 15, 2017. Communication proposals should be submitted through the EasyChair platform (https://easychair.org/conferences/?conf=cv2017). Please send abstracts of 500-1000 words (including references) for 20-minute presentations. Pre-constituted panels (of up to three speakers) are also welcome. Notifications of acceptance will be sent to the presenting author by September 15, 2017. Proposals in Portuguese, English, Spanish, French and Italian will be accepted.

The conference will include in the parallel programming a concert and a series of performances. The Organising committee will challenge musicians from Coimbra to reinvent Variações’ music in a concert to take place at TAGV; as for the performances, a Call for Performances is available, under the title «Performatic variations on António» (the selected performances will take place at Sala do Carvão, at Casa das Caldeiras, and at Salão Brazil.

Anúncios